Fragmentos da Lua
Visitem Fragmentos da Lua









Clique aqui para adicionar aos favoritos





Som Da Lua:

Angel Of Mine - Evanescence


You are everything I need to see
Smile and sunlight makes sunlight to me
Laugh and come and look into me
Drips of moonlight washing over me
Can I show you what want from me

Angel of mine, can I thank you?
You have saved me time and time again
Angel, I must confess
It's you that always gives me strength
And I don't know where I'd be without you

After all these years, one thing is true
Constant force within my heart is you
You touch me, I feel I'm moving intoyou
I treasure every day I spend with you
All the things I am come down to you

Angel of mine, let me thank you
You have saved me time and time again
Angel, I must confess
It's you that always gives me strength
And I don't know where I'd be without you

Back in the arms of my angel
Back to the peace that I so love
Back in the arms of my angel I can finally rest
Giving you a gift that you remind me

Angel of mine, let me thank you
You have saved me time and time,
and time, and time again
Angel, I must confess
It's you that always gives me strength
And I don't know where I'd be without you

Angel of mine, can I thank you?
You have saved me time and time again
Angel, I must confess
It's you that always gives me strength
And I don't know where I'd be without you



Ja por aqui tocou:
.Evanescence - Missing
.Evanescence - My Immortal
.Smashing Pumpkins - Disarm
.NightWish - Nemo
.Aerosmith - Fly away from here
.Why - Banda sonora "The Crow"
.LifeHouse - Hanging By a Moment
.Angels - Within Temptation
.Memories - Within Temptation
.This is my dream - Lacuna Coil
.Somewhere - Within Temptation




The Crow


People once believed,
That when someone dies,
A crow carries their soul,
To the land of the dead,
But sometimes,
Something so bad happens
That a terrible sadness is carring with it
And the soul can´t rest,
Then sometimes,
Just sometimes,
A crow can bring that soul back
To put the wrong things right.

An building gets torched,
All there is left is ashes,
I used to think,
That was true about everything,
Family, friends, feelings,
Now I know,
If sometimes love proves thrill,
Two people who meant to be together
Nothing could keep them apart.
Buildings burn, People die, But real love lives forever.



Arquivo


<< August 2016 >>
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
 01 02 03 04 05 06
07 08 09 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31




Nome: Meialua
Idade: 29


Signo: Escorpião (Nascida no Halloween)
Cor: Roxo
Coisas que adoro: A Lua, os meus amigos verdadeiros, o meu marido, o Mar, tudo que seja místico, ler, música, fotografia, rir, namorar, acima de tudo VIVER, etc...
Coisas que odeio: Inveja, falsidade, injustiças, pessoas interesseiras, mesquenhices, mentiras, etc...






Fases da Lua:



moon phases
 


Novo Selo:


Visitem Fragmentos da Lua

Se quiseres levar o meu Selo, tira o Código Aqui


O Meu blog Místico:


Visitem a Bruxinha da Lua


O Meu blog de Gifs:




O meu blog com a Moon Priestess:


Visitem

(Hiatus)

A minha heterónima:



O Meu Award



Se quiseres o meu Award deixa um comentário com o teu E-mail a pedir o Código



[Amigos da MeiaLua]
Clica Aqui para veres e conheceres todos os meus amigos.


Awards

Clica na imagem para veres todos os Awards que já ganhei


Sou de novo destaque:

Blog Destaque do Magia Gifs!


Concursos:

De momento sem tempo,
não participo em nenhum


Faço parte do Livro de Ouro:

Blog de Ouro do Magia Gifs!


Prémios A Destacar:






Presentes:



Presente da Branca



(Presente da Rute)












Fragmentitos:














If you want to be updated on this weblog Enter your email here:



rss feed

Sunday, June 21, 2009
Sim, voltei!!

Passado pouco mais de um ano e a pedido de muitas famílias...Voltei!!

Tanto este blog, como o outro continurão aqui como memórias que nunca esquecerei e sempre recordarei! E agora podem encontrar-me no Fragmentos da Lua II.

Aqui:

http://fragmentosdalua2-meialua.blogspot.com/

 

Encontramo-nos lá!! :)


Posted at 6:14 pm by meialua
Fragmentos da Lua(3)  

Wednesday, May 21, 2008
"Música, Luar e sonhos..."

Olá!!! :)
Pois é cá estou eu de novo!! Big Smile
Não, não sumi novamente, apenas como mencionei as minhas vindas ao blog são bastante mais espaçadas. Shades
Deixa-me muito feliz que continuem a cá vir, assim como fiquei super feliz quando me deparei com o facto de ser de novo Destaque num site que bastante aprecio e que convido todos a visitarem; o MagiaGifs, e do qual passei também a fazer parte do Livro de Ouro. Angel
Muito obrigada fico mesmo muito contente que estes Fragmentos continuem a ser visitados e apreciados! Smile
Aqui estãos presentinhos que me deram:

Blog Destaque do Magia Gifs!
Blog de Ouro do Magia Gifs!



E por agora deixo aqui um pequeno trecho de Fernando Pessoa, espero que apreciem.

Beijos com carinho, até breve, e já sabem não se esquecam de ser Felizes!!**




"A música, o luar e os sonhos são as minhas armas mágicas. Mas por música não deve entender-se só aquela que se toca, se não também aquela que fica eternamente por tocar. Por luar, ainda, não se deve supor que se fala só do que vem da lua e faz as árvores grandes perfis; há outro luar, que o mesmo sol não exclui, e obscurece em pleno dia o que as coisas fingem ser. Só os sonhos são sempre o que são. É o lado de nós em que nascemos e em que somos sempre naturais e nossos."

Fernando Pessoa


Posted at 8:38 pm by meialua
Fragmentos da Lua(20)  

Tuesday, April 15, 2008
Porque vocês fazem-me falta... ;)

Porque vocês fazem-me falta...
Porque apesar de ausente nunca vos esqueci, nem nunca deixei de vir aqui...
Porque este blog tem tanto de mim e tanto de nós. Angel
Porque as saudades apertaram e porque sim...
Aqui estou eu de novo Big Smile
Provavelmente não muito assídua mas mais do que ultimamente rsss Tongue
Comigo tudo continua fantabulástico Big Smile
O casamento continua de vento em popa e o trabalhito que já outro (Ufff) também... Tongue
Agradeço a todos que continuaram a cá vir e que foram também um incentivo para eu regressar a estes Fragmentos tão meus e tão nossos.
Assim que conseguir vou matar saudades dos vossos cantinhos, por agora deixo um pequeno trecho de um livro de Inês Pedrosa, espero que gostem.

Beijos com carinho*




"Não importa o que se ama. Importa a matéria desse amor.

As palavras são só um princípio.....

Porque no amor os princípios, os meios e os fins são apenas fragmentos de uma história que continua para lá dela, antes e depois do sangue breve de uma vida.

Tudo serve a essa obsessão de verdade a que chamamos amor".

Inês Pedrosa in "Fazes-me Falta"


Posted at 10:20 pm by meialua
Fragmentos da Lua(5)  

Tuesday, October 02, 2007
A Palavra Amor

Olá amigos! Big Smile
Sim eu sei...
Sumi. Tongue (Cof, cof)
O que acontece é que mudei de emprego
e o meu tempo tornou-se reduzido.
O meu casamento corre às mil maravilhas e tudo continua "fantabulástico". Big Smile
Acontece que com um novo emprego, as coisas tornaram-se diferentes e não tenho por enquanto muito tempo para o mundo da blogosfera.
O blog continuará por aqui, mas vai andar mais paradito, pois só cá virei mesmo quando tiver algum tempo. Angel
Existem prioridades e objectivos e temos que ir atrás deles.
Nunca gostei de despedidas e não considero este post como tal.
Pois sempre que possa cá estarei a ler e a reler, e a comentar....
Vou estar apenas... mais ausente. Wink
Durante muitos anos muitos de vós me acompanharam nos bons momentos e nos menos bons.
Guardo muitas recordações, gestos e palavras no meu coração.
O carinho sempre presente.
Que estou certa continuará. Smile
Por agora deixo-vos umas palavras de um escritor que aprecio bastante.
Um beijo enorme cheio de saudade e carinho da vossa amiga MeiaLua.
E nunca se esquecam de ser FELIZES!!

Até sempre.
Beta


Às vezes, penso que é impossível que entendas completamente aquilo que sinto.
A culpa não é tua. Não existe culpa. As palavras que tenho são muito insuficientes, são muito imperfeitas.

E se, num momento, vejo a minha mão deslizar sobre a pele do teu rosto, ou sobre a pele do teu pescoço, ou sobre a pele da tua voz olhar presença, sou atingido por um raio e tenho de dizer palavras, tenho de tentar dizer-te aquilo que sinto.

Esses são os momentos em que digo a palavra amor. Palavra insuficiente e imperfeita que não sei o que te diz.

Esses são os momentos em que sinto que qualquer coisa grande como o mundo me atravessa; a primavera inteira atravessa-me; as vozes e os sorrisos de todas as crianças atravessam-me; a lua, nós conhecemos a lua, a sua luz tão lenta no céu da noite, e a noite iluminada por luz, luz estendida sobre o rio onde se estende o nosso olhar imenso, cheio qualquer coisa grande como o mundo, a lua, a noite e a luz atravessam-me.

E digo a palavra amor como se dissesse tudo isto. E, quando me dizes a palavra amor, acredito que partilhamos palavras. E podemos dizer essa palavra dentro de um beijo. Os nossos lábios juntos a fazerem os mesmos movimentos, a fazerem as formas dessa palavra: a m o r. Juntos.

E há outra palavra que não sabemos como dizer: felicidade. Dizemos felicidade e, dentro do instante dessa palavra, sentimos alguma coisa que chamamos por esse nome. É também grande como o mundo.

Quando estamos juntos, de mãos dadas, quando nos abraçamos e os nossos corpos se tocam mais do que se estivessem apenas a tocar-se, quando as nossas vozes são a mesma, quando as nossas palavras, sentimos muitas coisas grandes como o mundo. O mundo é tantas vezes infinito.

No entanto, quando estou sozinho por um momento, quando o teu rosto é apenas tocado pela minha memória, penso que é impossível que entendas completamente aquilo que sinto.

A culpa não é minha. Não existe culpa. Daquilo que sinto, dessas palavras, amor, felicidade, sei apenas que são grandes como o mundo quando o mundo é infinito. Posso estar na rua, posso estar no meu quarto, posso ter acabado de acordar e o meu corpo fica rodeado pelas folhas do Outono que o vento agita, fica rodeado de pássaros e a claridade é a pureza singela, como os teus olhos, como os teus lábios, como os teus dedos, como a tua pele. É tão grande. Tão grande.

E é por isso que penso que é impossível que entendas, mas depois penso que nós, a palavra amor, isto, tão grande, nós somos feitos de tantas coisas impossíveis, tantas coisas de que duvidamos, tantas coisas que verdadeiramente acreditámos impossíveis, com todas as certezas, com todas as dúvidas. Nós somos impossíveis e, no entanto, no entanto, no entanto, estamos aqui, dizemos essa palavra impossível, amor, e vemos significados na voz, na pele, no olhar e dentro de nós.

Tu sabes que existe o medo. Gostava de poder dizer-te para não teres medo, mas eu também sei que existe o medo. Na vertigem, de repente, esse momento. Penso que é impossível. E é quando gostava que me desses a mão.

Tu sabes que é assim. Existe tudo dentro dessa palavra, amor, essa palavra que dizemos e que nos soterra. Estamos debaixo dela como se estivéssemos debaixo de montanhas, como se existíssemos no centro do céu sem nuvens. E imaginamos que todos podem ver-nos, e imaginamos que ninguém nos vê. Possível e impossível.

Quando digo amor, apenas esta palavra, amor, gostava de dizer-te que por trás do meu rosto estão todos os gestos que poderão amparar-te quando precisares, todos precisamos de gestos e de palavras às vezes, eu tenho e terei esses gestos e essas palavras para ti; gostava de dizer-te que o sangue começou já a correr pelas ruas do futuro, e o sangue tem essa pureza singela da claridade, gostava de falar-te do mar, mas tu sabes mais do que eu sobre o mar, um infinito de coisas simples; gostava de dizer-te que por trás do meu rosto existe de novo o meu rosto e existe o teu rosto e existe a esperança, a rua da esperança. Estamos aqui. Juntos.

Posso estar na rua, posso estar no meu quarto, e sei, sinto que estamos de mãos dadas, abraçamo-nos e os nossos corpos tocam-se mais do que se estivessem apenas a tocar-se, as nossas vozes são a mesma. É tão grande. Tão grande. Possível e impossível.

E poderia continuar a dizer palavras, tudo, mundo, sempre, e todas essas palavras seriam insuficientes e tão imperfeitas.

A culpa não é tua, não é minha. Não existe culpa. Existe o contrário da culpa, qualquer coisa boa e absoluta.

Estendo a minha mão dentro dessa névoa luminosa. Sinto essa claridade na minha pele. Sou atingido por um raio e sei que poderia continuar a dizer palavras, mas agora olho-te nos olhos, atravesso-os e sou atravessado por eles, o teu rosto está à distância da minha respiração, os teus dedos e os meus dedos, a nossa pele, e sei que poderia continuar a dizer palavras, mas agora olho-te nos olhos e basta-me a verdade desta palavra, amor, e basta-me a verdade do teu nome.

(José Luís Peixoto)


Posted at 5:38 pm by meialua
Fragmentos da Lua(23)  

Tuesday, July 24, 2007
De volta!!! :D

Baaaaaaaccckkkk!!
Pois é amigos estou de volta!
Como alguns de voces sabem, o meu casamento realizou-se
num dia muito especial: 07/07/2007! Big Smile
(O 7 sempre teve um significado especial!)
Tudo correu "fantabulásticamente" Wink
E foi realmente um dia de sonho! Angel
De sonho foi também a viagem que fiz, que sempre quis fazer;
ir à Grécia. Smile
Estive essencialmente na Ilha de Creta,
E entre praia, mar, piscina, cigarras a cantar,
jantares ao por do sol, muita música, amor e alegria;
(nunca esquecerei o por do sol em Creta),
um ambiente fantástico e alguns passeios
fico para sempre com a Grécia e Creta no coração. Big Smile
E volto de novo com a minha querida Sophia;
e como estive bastante ausente de novo deixo uma colectanea
e algumas fotos que tirei em Creta.
É bom estar de volta Wink
Uma boa semana e beijinhos com muito muito carinho**

O Minotauro

Em Creta
Onde o minotauro reina
Banhei-me no mar

Há uma rápida dança que se dança em frente de um toiro
Na antiquíssima juventude do dia

Nenhuma droga me embriagou me escondeu me protegeu
Só bebi retsina tendo derramado na terra a parte que pertence aos deuses

De Creta
Enfeitei-me de flores e mastiguei o amargo vivo das ervas
Para inteiramente acordada comungar a terra
De Creta
Beijei o chão como Ulisses
Caminhei na luz nua

Devastada era eu própria como a cidade em ruína
Que ninguém reconstruiu

Mas no sol dos meus pátios vazios
A fúria reina intacta
E penetra comigo no interior do mar
Porque pertenço à raça daqueles que mergulham de olhos abertos
E reconhecem o abismo pedra a pedra anémona a anémona flor a flor

E o mar de Creta por dentro é todo azul
Oferenda incrível de primordial alegria
Onde o sombrio Minotauto navega

Pinturas ondas colunas e planícies
Em Creta
Inteiramente acordada atravessei o dia
E caminhei no interior dos palácios veementes e vermelhos
Palácios sucessivos e roucos
Onde se ergue o respirar da sussurada treva
E nos fitam pupilas semi-azuis de penumbra e terror
Imanentes ao dia
Caminhei no palácio dual de combate e confronto
Onde o Príncipe nos Lírios ergue os seus gestos matinais

Nenhuma droga me embriagou me escondeu me protegeu
O Dionysos que dança comigo na vaga não se vende em nenhum mercado negro

Mas cresce uma flor daqueles cujo ser
Sem cessar de busca e se perde se desune e se reúne
E esta é a dança do ser

Em Creta
Os muros de tijolo da cidade minoica
São feitos de barro amassado com algas
E quando me virei para trás da minha sombra
Vi que era azul o sol que tocava o meu ombro

Em Creta onde o Minotauro reina atravessei a vaga
De olhos abertos inteiramente acordada
Sem drogas e sem filtro
Só vinho bebido em frente da solenidade das coisas
Porque pertenço à raça daqueles que percorrem o labirinto
Sem jamais perderem o fio de linho da palavra

 

Os gregos

Aos deuses supúnhamos uma existência cintilante
Consubstancial ao mar à nuvem ao arvoredo à luz
Neles o longo friso branco das espumas o tremular da vaga
A verdura sussurrada e secreta do bosque o oiro erecto do trigo
O meandro do rio o fogo solene da montanha
E a grande abóbada do ar sonoro e leve e livre
Emergiam em consciência que se vê
Sem que se perdesse o um-boda-e-festa do primeiro dia –
Esta existência desejávamos para nós próprios homens
Por isso repetíamos os gestos rituais que restabelecem
O estar-ser-inteiro inicial das coisas –
Isto nos tornou atentos a todas as formas que a luz do sol conhece
E também à treva interior por que somos habitados
E dentro da qual navega indicível o brilho.

 

Ressurgiremos

Ressurgiremos ainda sob os muros de Cnossos
E em Delphos centro do mundo
Ressurgiremos ainda na dura luz de Creta

Ressurgiremos ali onde as palavras
São o nome das coisas
E onde são claros e vivos os contornos
Na aguda luz de Creta

Ressurgiremos ali onde pedra estrela e tempo
São o reino do homem
Ressurgiremos para olhar para a terra de frente
Na luz limpa de Creta

Pois convém tornar claro o coração do homem
E erguer a negra exactidão da cruz

Na luz branca de Creta 

Sophia de Melo Breyner


Posted at 9:17 pm by meialua
Fragmentos da Lua(18)  

Sunday, July 01, 2007
Até breve...

Olá amigos!
Tudo fantabulástico? Big Smile
Pois é, vou-me ausentar ainda durante + uns tempos.
A minha situação com a Net,  não está inteiramente resolvida
(arranjaram-nos uma alternativa enquanto não se compunha tudo...).
Mas a maior razão para a minha ausência é... Angel
...que me vou casar... Ah pois é...
Apesar de já viver junta há um ano, chegou a altura.Smile
Logo, estou de férias, mas o tempo não é muito,
e também porque se tudo correr bem de seguida
irei fazer uma das minhas viagens de sonho...
Prometo quando voltar contar tudinho. Wink
Assim hoje vou deixar aqui uma colectanea da minha poetiza preferida
que muitos vós que me acompanham desde sempre,
e mesmo os mais recentes sabem de quem se trata.
Tomem conta destes Fragmentos que são não só meus mas sim nossos.
Obrigada pelo sempre imenso carinho e façam o favor de serem Felizes.
Sempre! Big Smile
Beijos do coração e até breve....***

Meio da vida

Porque as manhãs são rápidas e o seu sol quebrado
Porque o meio-dia
Em seu despido fulgor rodeia a terra

A casa compõe uma por uma as suas sombras
A casa prepara a tarde
Frutos e canções se multiplicam
Nua e aguda
A doçura da vida

Mar sonoro

Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho.
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim

 








Felicidade

Pela flor pelo vento pelo fogo
Pela estrela da noite tão límpida e serena
Pelo nácar do tempo pelo cipreste agudo
Pelo amor sem ironia
- por tudo
Que atentamente esperamos
Reconheci tua presença incerta
Tua presença fantástica e liberta

 

 

 

 

 

O luar enche a terra de miragens

O luar enche a terra de miragens
E as coisas têm hoje uma alma virgem,
O vento acordou entre as folhagens
Uma vida secreta e fugitiva,
Feita de sombra e luz, terror e calma,
Que é o perfeito acorde da minha alma.


Promessa

És tu a Primavera que eu esperava,
A vida multiplicada e brilhante,
Em que é pleno e perfeito cada instante.

 

Sophia de Mello Breyner

 

Editando:

A atmosfera romântica tomou conta da blogosfera, e por isso
o Art Of Love
atribuiu-me o prémio "Destaque Cupido Fonte de Amor".
ou seja, fui "flechada" a falar sobre o que é o Amor...

(E que bela altura, hem amigo?)

Falar do amor...

Não sei falar de amor, sei que é preciso entrega,
compreensão, amizade, sinceridade, lealdade, respeito,
confiança, cumplicidade,
paixão, desejo, doçura, generosidade, paciência,
saber ouvir, saber escutar, saber perdoar.
O Amor é feito de inúmeros sentimentos que o tornam nisso mesmo, o Amor.
Quando duas pessoas se entregam de tal forma que são apenas uma.
São as metades que se unem.
Aqui teem a meialua que (re)encontrou a sua metade Big Smile
O Amor não tem definição mas eu sempre uso esta frase
para explicar como sinto, como penso:

"O Amor é um pouco de nós misturado com um pouco de alguém"

Não vou passar o desafio a ninguém, simplesmente deixo-vos à vontade
para todos aqueles que o quiserem fazer...
Até breve!!!***

 


Posted at 7:31 pm by meialua
Fragmentos da Lua(14)  

Thursday, June 14, 2007
...

Olá amigos.
Pois é a minha situação com a Internet continua igual. Angry
Fiz já uma reclamação por escrito com conhecimento de entidades superiores e vamos ver no que dá... Hurmph
Enfim.
Sem muito tempo, pois ando bastante ocupada e sem acesso aos blogs em casa, hoje venho aqui apenas deixar mais um poema para saberem que não me esqueco de voces. Big Smile
Beijos com carinho*
 

Escrevo diante da janela aberta.
Minha caneta é cor das venezianas:
Verde!... E que leves, lindas filigranas
Desenha o
sol na página deserta!

Não sei que paisagista doidivanas
Mistura os tons... acerta... desacerta...
Sempre em busca de nova descoberta,
Vai colorindo as horas quotidianas...

Jogos da luz dançando na folhagem!
Do que eu ia escrever até me esqueço...
Pra que pensar? Também sou da paisagem...

Vago, solúvel no ar, fico sonhando...
E me transmuto... iriso-me... estremeço...
Nos leves dedos que me vão pintando!

Mario Quintana - A Rua dos Cataventos


Posted at 3:36 pm by meialua
Fragmentos da Lua(13)  

Monday, May 21, 2007
Como uma flor vermelha...

Olá a todos!Big Smile
Pois é amigos, a minha ausência deve-se ao facto de
que continuo sem Net em casa...
O Problema com o operador persiste, porque o que aconteceu foi que por erro deles desinstalaram a linha,Angry
então depois de muitos telefonemas, reclamações e ameacas de desistir do serviço já mais do que fundamentadas
lá nos explicaram que tiveram que pedir novamente a linha
pois não dá para a reinstalar Shocked
e sendo sim vão ter que fazer tudo novamente...
Agora vamos esperar para ver no que dá e como nos esperam recompensar
se não querem que cancelemos mesmo o servico...Hurmph
Enfim...
Tirando isso, tudo "fantabulástico" apesar da falta de tempo...Wink
E já sabem, como por agora só tenho acesso aos blogs aqui no trabalho;
e nem a todos os servidores, vou vindo aqui e visitar-vos conforme for sendo possível.
Espero que compreendam.Angel
Por agora deixo mais um poema, beijos com imenso carinho e saudade
e o desejo de uma excelente semana!!***
 

À sua passagem a noite é vermelha,
E a vida que temos parece
Exausta, inútil, alheia.

Ninguém sabe onde vai nem donde vem,
Mas o eco dos seus passos
Enche o ar de caminhos e de espaços
E acorda as ruas mortas.

Então o mistério das coisas estremece
E o desconhecido cresce
Como uma flor vermelha. 

Sophia de Melo Breyner


Posted at 11:55 am by meialua
Fragmentos da Lua(11)  

Monday, May 07, 2007
...

Olá amiguinhos!
Pois é, já tinha saudades de aqui vir. Big Smile
O que acontece é que quando regressei de férias, não tinha Net em casa; aliás ainda não tenho. Angry
Parece que houve uma avaria qualquer na central do centro de comunicações do servidor e deram um prazo de aproximadamente uma semana para resolver a situação....
Depois de muitos telefonemas e reclamações agora vou aguardar para ver no que dá.... Surprise
Sendo assim tenho que me orientar a postar e a visitar-vos aqui pelo local de trabalho sempre que tiver um tempinho... Angel
Aos poucos vou-vos tentar retribuir as visitas e já sabem tem que ser conforme for possivel, pois há alguns servidores de blogs aos quais não consigo aceder daqui... Angry
Enfim, tudo se irá resolver....

Adiante:

Branca deixou-me este pequeno mimo nos comentários e no seu blog:

Consiste em nomear 5 blogs que me fazem pensar!
Obrigada! Adorei!! Big Smile

Quanto aos blogs que visito todos eles me dizem algo, mas de qualquer modo vou eleger entre eles 5, não vou difereciá-los pois cada qual me faz pensar e/ou reflectir a seu modo....

Ora então aqui fica: Encontros na Cidade, Secreta. Nimbypolis, Humores, Boas Energias.

Terão agora a tarefa de copiar o award para o vosso blog e nomearem também 5 blogs que vos façam pensar. Wink

Por agora e porque ontem foi dia da Mãe, deixo aqui mais um poema e o desejo de uma excelente semana para todos vós.

Beijos com muito carinho***

No mais fundo de ti
Eu sei que te traí, mãe.

Tudo porque já não sou
O menino adormecido
No fundo dos teus olhos.

Tudo porque ignoras
Que há leitos onde o frio não se demora
E noites rumorosas de águas matinais.

Por isso, às vezes, as palavras que te digo
São duras, mãe,
E o nosso amor é infeliz.

Tudo porque perdi as rosas brancas
Que apertava junto ao coração
No retrato da moldura.

Se soubesses como ainda amo as rosas,
Talvez não enchesses as horas de pesadelos.

Mas tu esqueceste muita coisa;
Esqueceste que as minhas pernas cresceram,
Que todo o meu corpo cresceu,
E até o meu coração
Ficou enorme, mãe!

Olha - queres ouvir-me? -
Às vezes ainda sou o menino
Que adormeceu nos teus olhos;

Ainda aperto contra o coração
Rosas tão brancas
Como as que tens na moldura;

Ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
No meio do laranjal...

Mas - tu sabes - a noite é enorme,
E todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
Dei às aves os meus olhos a beber.

Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo as rosas.

Boa noite. Eu vou com as aves.

Eugénio de Andrade


Posted at 9:01 am by meialua
Fragmentos da Lua(17)  

Monday, April 16, 2007
Os sonhos dão trabalho...

Olá amiguitos!!!
Tudo "fantabulástico"? Big Smile
Esperemos que sim. Smile
E este sol e calorzinho que parecem ter chegado ajuda, não é? Wink
Bem, eu estou sem muito tempo pois ando um pouco ocupada.
Afinal, os sonhos dão trabalho... Tongue
Sendo assim e porque para a outra semana vou ter uns dias de férias, só devo voltar ao blog em Maio.
Até lá conto com voces para irem tomando conta aqui dos nossos Fragmentos.
E hoje em vez de um poema, deixo um excerto dum livro de Paulo Coelho.

Beijos grandes com muito carinho e façam o favor de ser Felizes!!*****

"Eu sorri mais uma vez.
-Eu ia esquecer. E tu fizeste-me lembrar.
-Tu achas que o teu dom voltará?-perguntei.
-Não sei. Mas Deus sempre me deu uma segunda oportunidade na vida.
Está a dar-ma contigo. E ajudar-me-á a reencontrar o meu caminho.
-Nosso- interrompi-o outra vez.
-Sim, nosso.
Ele agarrou-me pelas mãos e levantou-me.
-Vai buscar as tuas coisas- disse. -Os sonhos dão trabalho."

Paulo Coelho


Posted at 8:27 am by meialua
Fragmentos da Lua(11)  

Next Page